MEDITAÇÃO GUIADA: Acolhendo nossa humanidade comum

(baseada na mensagem do Lama Alan Wallace sobre o Darma em tempos de Corona vírus. Por Ale Vieira)

INSTRUÇÕES

1. Homenagem aos mentores de todas as tradições.

2. Estabeleça o corpo em seu estado natural de imobilidade, quietude, vivacidade e relaxamento.

3. Essa meditação é para todos aqueles que sentem que nas últimas semanas suas perspectivas de vida giraram ao ponto de verem identidades relacionais, como a profissional, a familiar, a amorosa terem manifestado novos contornos favoráveis e desfavoráveis. Nesse momento, inspiramos e expiramos trazendo nossos entes queridos ao centro da nossa atenção, nossa prática de tranquilização e clareza.

4. Reconheça que ao menos temporariamente, há uma identidade existencial, que se pronuncia, se apresenta mais claramente em nosso campo experiencial. Essa identidade pode estar tensa e não desaparecer. Não quer colocar em risco a própria saúde e o bem-estar daqueles que formam sua humanidade comum, sobretudo os entes queridos. Localize essa identidade, inspire e expire alguns momentos com seus contornos.

5. Contemple a mente que se manifesta como uma localizadora de ameaças e passeie mentalmente por tudo o que até agora está se manifestando em sua vida como medo, expectativa, negação, isolamento, bloqueio, frustração, raiva, desconsolo, saudade. Use toda a sua capacidade de tranquilizar e compreender. Localize as experiências como experiências. Volte sua atenção para estes sentimentos.

6. Volte-se agora para a crise global de saúde que todos estamos enfrentando.

7. Veja o quanto estamos tomados por esse medo. Nossa mente oscila da dispersão sem foco ao medo ou raiva. Temos mais tempo para refletir e nos acalmar, mas estranhamente, parece que estamos mais ocupados agora, com a monkey mind pulando de um lado para o outro, inventando o que fazer para não ficarmos soltos no espaço do silencio que pode ser angustioso demais para nós.

8. Estenda seu coração àqueles que sofrem diretamente com o vírus e deseje, sinceramente, que todos estejam livres do sofrimento e de suas causas!

9. Investigue se você se sente afortunado por ter encontrado causas e condições favoráveis que lhe nutrem e sustentam durante esses tempos incertos. Localize e permaneça com as sensações de gostar, não gostar ou ignorar essa possibilidade.

10. Com isso contemple que a realidade de nossa própria mortalidade é a própria verdade da impermanência de todos os fenômenos condicionados e que vêm compassivamente ao nosso encontro nesse momento.

11. Contemple o que escreveu Blaise Pascal que descobriu que toda a sua infelicidade decorria do único fato de perceber que os homens, distraídos por muitos estímulos, não conseguem ficar quietos em seus próprios aposentos.”

12. Se fazemos parte daqueles que estão na linha de frente do enfrentamento a pandemia, como médicos, enfermeiros, agentes de saúde, funcionários de hospitais, gente do comercio e das estradas, é hora de contribuirmos aprendendo a ficar quietos em nossos próprios aposentos, protegendo a nós mesmos e aos outros de contrair o vírus, e fazendo deste retiro compulsório a mais significativa e transformadora ocasião das nossas vidas.


4 visualizações0 comentário
Contato
Assine nossa Newsletter!